Salve 2021! 10 Anos de Voicecon

Salve 2021! 10 Anos de Voicecon

A decisão de abrir o meu próprio negócio, em meados 2011 veio de forma bem natural. Aos 32 anos, tinha minha carreira, até então praticamente toda dentro de Operadoras de Telefonia Móvel. Meu círculo de amizade, minha vida, tudo respirava em torno de TELECOM.

Com a maturidade, alguns véus foram caindo e começava então a enxergar as possibilidades dentro de todo o conhecimento obtido nesses longos 12 anos e ainda limitações para alcançar cargos maiores dentro dessas empresas, seja por um background que precisava ser melhorado, mas principal e descaradamente, por ser mulher, nortista, no segmento comercial de uma grande multinacional.

Telecom estava explodindo, as Operadoras crescendo vertiginosamente, cargos sendo criados, mas percebi que em 12 anos fui gerenciada uma ou no máximo duas vezes por uma mulher, sendo que NENHUMA Diretora! Queria muito seguir carreira dentro das Teles, mas decidi “tomar posse” do meu destino e não esperar que meus sonhos caíssem no meu colo. Decidi correr atrás deles por conta própria.

Dentro de mim nascia um propósito muito grande em levar todo esse conhecimento e colocar à disposição de quem não os tinha, principalmente meus clientes PJ, os quais atendi por muitos anos e tenho um enorme carinho até hoje.

Talvez esses sejam pontos chave de mudança: a Empatia e o Inconformismo. Como não se comover com um cliente que deveria pagar R$2.000,00 na conta de sua pequena empresa e recebe uma conta de R$18.000,00? Como não se indignar? Como não parar para ajuda-lo? Como renovar um contrato com um cliente e não avisá-lo que tem mais de 100 linhas paradas e, por falta de gestão interna, está pagando por serviços que não utiliza? Tantos dilemas e questionamentos que me faziam ter certeza que meu lugar não era mais ali!

Outro ponto que gostaria de compartilhar com vocês é que não tive medo. E tal sentimento não se dava pelo fato de eu achar que tudo daria certo. Não. Longe disso. Dentro de mim eu tinha certeza da possibilidade do recomeço.  Pensar assim sempre me ajudou a prosseguir, a olhar meus erros com certa imparcialidade, corrigi-los e tentar novamente.

No dia 03 de maio de 2011 estava oficialmente assumindo a Voicecon. Tinha exatamente 03 clientes, os quais estão conosco até hoje, com percentuais de redução acima de 60%.

Um mundo novo se abria pra mim: O mundo do Empreendedorismo.

Nunca vou esquecer as palavras da gerente de RH Alene Cativo, que conduziu minha saída da Operadora: – Você vai descobrir e desenvolver habilidades que nem sabe que as possui!

Tinha muita coisa para aprender! Muita coisa para estudar. Nunca imaginei que fosse encontrar barreiras de onde eu menos esperava, de alguns profissionais inseridos nas Teles. Mas isso era o de menos. Estava e estou até hoje, tão focada, que essas eram questões que eu tratava de acordo com a necessidade, ficar debruçada nestes problemas não era uma opção naquele momento.

Nossa meta era desenvolver os processos, nosso sistema e adequá-los ao que entendíamos ser o melhor para o nosso cliente. Como o segmento de TEM (Telecom Expense Management) é ainda um segmento em expansão, não tinha à época qualquer concorrente, apenas algumas referências em São Paulo. Então basicamente, era o nosso know-how, que estava fazendo surgir a VOICECON !

Acordava as 3 da manhã pra anotar insights, era uma fase muito fascinante, as ideias borbulhavam na minha cabeça e tinham que ir para o papel. Ressalto que em meio a esse inicio, meu marido Marlus Cristo, que também é empresário, sentia as consequências da primeira crise de 2011, a qual acertou em cheio o segmento automobilístico. Muitas lojas fechando nacionalmente, ele fechou uma loja filial e tentou segurar a matriz, a todo custo, foi um momento difícil. Muito difícil. Eu não conseguia contribuir financeiramente, como sempre fazia, pois acabara de abrir a Voicecon e todo o planejamento que fizemos como um casal, caiu por terra.

Me recordo perfeitamente de me levantar um dia e colocar na cabeça: eu vou trazer esse contrato! Tinha uma visita em um cliente. Não tinha alternativa: ou dá certo, ou dá certo!! Minhas lágrimas escorriam durante todo o trajeto até chegar ao cliente. Estacionei o carro e coloquei meu melhor sorriso no rosto, agradeci a Deus pela Oportunidade e entrei. Trouxe o contrato assinado! Esse cliente, Temistocles Pereira, está conosco até hoje. Ele e meu marido não sabem dessa história, até lerem esse texto.

Tive muita sorte de encontrar pessoas que gostavam de trocar experiências comigo. Empresários que compartilhavam e compartilham até hoje conhecimentos de liderança, gestão e visão de negócios, que me ajudaram chegar até aqui. Ser uma eterna aprendiz, esse é o lema. Muito importante para todos que começam um negócio é também o apoio da família! Pelo menos é um problema a menos para gerenciar (rsrs) Brincadeira à parte, o apoio familiar te traz um conforto emocional indescritível.

Mas nada é tão desafiador quanto gerenciar pessoas!! Imprimir nossa cultura, nossas convicções, nossos valores e ainda motivar as pessoas é um desafio constante. Por isso estamos sempre em movimento e colocando em pratica o que realmente acreditamos como pessoas e profissionais. A Voicecon busca incansavelmente melhorias, em todos os sentidos. Aprimoramos por 4 vezes nosso modelo de negócio, a cada 15 dias nos avaliamos e encaramos com muita determinação nossos objetivos e valores. Definimos Trimestralmente nossas OKRs. Temos metas também de semestre, anuais e todos da equipe sabem onde queremos estar em  2022 e qual o sonho pessoal de cada integrante deste time. Estamos rodeados de pessoas que nos impulsionam para os nossos sonhos. Minha sócia e irmã amada Mayra Macedo que o diga! Responsável pelo Financeiro da empresa, só falta ter uma síncope, a cada insight e/ou novas descobertas! (Rsrs)

Temos grandes desafios para os próximos 10 anos. A empatia e o Inconformismo nos levarão para caminhos ainda maiores, novos serviços e novos empreendimentos! Seguiremos focados no nosso propósito!!!

Sem comentários

Envie seu comentário